5 dúvidas que você ainda pode ter sobre Cloud Computing

A adoção da Cloud Computing é uma realidade cada vez mais presente nas empresas do Brasil, principalmente, por ser utilizada como estratégia de redução de custos e por contribuir com o aumento da produtividade dos colaboradores.

A popularização e ampla utilização mostra como o uso dessa tecnologia tem sido importante para as corporações nacionais buscarem maior eficiência, o que é essencial para a melhoria de performance. Apostar no avanço tecnológico deixou de ser um luxo e passou a ser uma questão de sobrevivência no mundo corporativo.

Por isso, neste artigo, vamos abordar as 5 principais dúvidas que envolvem a migração dos ativos de tecnologia do seu negócio para o modelo de Cloud Computing para que você amplie todos os benefícios que ela pode proporcionar a sua empresa. Confira!

 

1. Por que migrar agora para a Cloud Computing?

As companhias necessitam reduzir custos de maneira cada vez mais inteligente. Essa tendência ganhou mais força com a pandemia do coronavírus (Covid-19), que tem forçado a adesão do trabalho remoto para não haver perda de produtividade.

Com a Cloud Computing, a empresa não precisa fazer investimentos pesados na aquisição de equipamentos de TI, compra de licença de software, energia e manutenção de um Data Center. Dessa forma, os recursos financeiros podem ser utilizados de maneira mais estratégica, o que é fundamental para manter a competitividade em um mercado tão acirrado.

Outra vantagem é que a equipe de Tecnologia da Informação não precisa ficar envolvida com atividades operacionais, isto é, há um maior foco na visualização de alternativas para a empresa melhorar os serviços e estar mais próxima das tendências do mercado.

Além disso, migrar para a computação em nuvem tem como grande benefício a segurança dos dados. Isso porque o armazenamento e a disponibilização de informações corporativas estarão sob a responsabilidade de uma empresa especializada nesse serviço.

Esse aspecto também contribui para que as corporações reduzam, consideravelmente, problemas relacionados ao vazamento de dados e a ataques virtuais, como o ransomware, por exemplo. Evitar essas situações é importante para não haver prejuízos financeiros e na imagem da empresa.

A flexibilidade dos serviços é mais um elemento favorável para a adoção de Cloud Computing. Com essa solução tecnológica, as informações podem ser acessadas em qualquer dispositivo conectado à internet, permitindo que gestores e colaboradores tenham mais agilidade na conclusão de tarefas e na tomada de decisão.

Vale lembrar que a migração para a computação em nuvem deve ser feita com critério técnico e estratégia, pois isso permite que as empresas usufruam das vantagens disponibilizadas de forma mais eficiente e rápida.

 

2. Quais são os modelos de serviços em nuvem existentes?

Os principais modelos de serviços de Cloud Computing envolvem três modalidades: Infraestrutura como Serviço (IaaS), Plataforma como Serviço (PaaS) e Software como Serviço (SaaS).

Todos podem ser adotados na nuvem pública (usuários dividem os recursos disponibilizados pelo fornecedor) e na privada (ativos destinados apenas para um cliente).

O modelo IaaS é utilizado por gerentes de sistemas para criar máquinas virtuais, memórias virtuais e sistemas operacionais. Considerado a camada mais profunda da nuvem, ele prioriza desenhar um ambiente sob demanda para facilitar o uso dos recursos pelos usuários.

O PaaS funciona como uma camada intermediária de Cloud Computing e apresenta hardwares virtuais disponibilizados como serviço. Dessa maneira, permite o desenvolvimento de sistemas, sem haver insegurança em relação à capacidade dos serviços. Por isso, é muito usado por desenvolvedores para integrar aplicações e inserir frameworks.

Denominado como a camada mais externa da nuvem, o SaaS é formado por um grupo de aplicativos executados no ambiente virtual, utilizando uma interface web. É um recurso bastante utilizado para acessar e-mails ou aplicativos empresariais (CRM, ERP e plataforma de assinatura eletrônica).

A escolha do modelo mais adequado para uma empresa deve ser feita com base em uma análise das demandas atuais. Isso colabora para uma gestão mais inteligente dos recursos financeiros e de TI.

 

3. Quais as estratégias de migração?

A primeira medida para efetivar a migração para o Cloud Computing consiste em identificar e analisar os sistemas, os dados sensíveis e a infraestrutura de TI local. Esse mapeamento é indispensável para elaborar a estratégia e definir a ordem das ações voltadas para a mudança.

Outra iniciativa importante é verificar os recursos que podem ser escalados ou diminuídos em cada aplicativo. Esse trabalho ajuda a definir prioridades e a decidir como gerenciar o processo de migração.

Também deve ser avaliado qual o tipo de cloud a ser adotado (pública, privada ou híbrida). Dependendo da necessidade da companhia, é possível ter mais de um tipo. Isso deve ser analisado com bastante critério para não prejudicar a migração e a produtividade da empresa.

Muitas companhias estão adotando recursos de migração automatizados. Assim, é viável ter dados adicionais sobre o ambiente, o que contribui para o uso da computação em nuvem.

Esse processo ainda deve ser feito verificando como a equipe de TI vai agir em eventuais problemas na migração. Assim, fazer um mapeamento dos riscos é relevante para o processo ser realizado da melhor forma possível.

4. Quais são as etapas de migração?

É necessário que seja feito um plano de migração para dimensionar como a empresa vai implantar a computação em nuvem. O indicado é realizar uma análise quantitativa de servidores físicos e virtuais disponíveis. Essa medida é uma forma de estabelecer etapas e o cronograma de atividades.

O planejamento ajuda a avaliar o que deve ser prioritário no processo de migração. Além disso, favorece a otimização dos recursos de TI disponíveis, evitando que a empresa tenha os serviços afetados em virtude dos trabalhos voltados para a adoção de Cloud Computing.

Os procedimentos de segurança da informação e o gerenciamento dos ativos também fazem parte das etapas de migração. É necessário muito cuidado com essas fases para o processo ser concluído dentro do prazo.

 

5. Como fazer a gestão da nuvem e a gestão de custos?

Para a migração para a nuvem apresentar bons resultados, é fundamental que a gestão dos recursos seja feita com bom senso e planejamento.

Em outras palavras, é preciso sempre ter uma dimensão da demanda dos serviços de TI necessários para a empresa no momento. Esse procedimento favorece a gestão eficiente de custos, facilitando o corte de gastos desnecessários.

Em virtude da pandemia do coronavírus, executivos passaram a perceber que a migração para Cloud Computing é um bom caminho para gerenciar recursos humanos e a infraestrutura de TI. São benefícios que vão influenciar a performance corporativa positivamente, inclusive após o fim do período de distanciamento social.

 

Para entender melhor o funcionamento da Cloud Computing, vale a pena conhecer os serviços de gestão em nuvem da Qualiserve. Afinal, ter acesso à informação de qualidade é peça-chave para vencer desafios. Se quiser saber mais, entre em contato conosco.

Sem comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO